No âmbito da situação de emergência de saúde pública resultante da propagação do novo Coronavírus – COVID-19 – em Portugal, a Instituição está, desde o dia 6 de março, a tomar medidas preventivas, no sentido de providenciar pela diminuição do risco de transmissão, acautelando por vários meios, a proteção dos utentes, funcionários e em última instância das famílias destes.

Essas medidas, constantes do Plano de Contingência (ver notícia), foram tomadas pela Direção da Instituição, tendo a sua implementação contado apenas com o particular empenho das funcionárias e de uma IPSS do concelho, o Coração Delta, que fornece diariamente as máscaras e refeições para as oito funcionárias, as quais trabalham sem as devidas folgas, há sensivelmente um mês.

Até à data, para além da informação veiculada sobre as medidas a adotar, não nos foi prestado pela Segurança Social ou outra entidade pública de saúde, qualquer outra ajuda.

Todos conhecemos como o COVID-19 está a evoluir no nosso país, assim como a dramática situação dos Lares, por isso, urge-nos a ajuda e a proteção desta população fragilizada, por parte das entidades de saúde públicas.

Enquanto humildes alentejanos, sentimo-nos, e continuamos a ser esquecidos.

No próximo dia 6 de abril, uma nova equipa de 9 funcionários, inicia o trabalho na instituição. Na situação atual de contágio comunitário, consideramos que o Plano de Contingência, em curso desde o passado dia 6 de março, pode não ser suficiente para proteger os nossos utentes.

É premente que sejamos acompanhados pelos serviços de saúde.

É urgente que nos facultem a possibilidade de serem realizados testes, aos utentes e às funcionárias.

É indispensável e urgentíssimo que nos prestem apoio.

 

Degolados, 30 de março de 2020

O Presidente da Direção

Eliseu Pernão